Início > Artigos > A VIDA, O SER HUMANO, A MAGIA E A ATUALIDADE: Reflexões sobre o caos, a dor e a delícia de se viver!

A VIDA, O SER HUMANO, A MAGIA E A ATUALIDADE: Reflexões sobre o caos, a dor e a delícia de se viver!

Incrível como nos dias de hoje, quase todo mundo se queixa sobre a problemática de viver em sociedade e, mais ainda, sobre a falta de valores como: a ética, o companheirismo, a tolerância, a verdade e a sinceridade.

Toda a raiz de problema pode (veja bem: pode) estar no exato momento em que o homem se distanciou de sua natureza pagã, se afastando da convivência com a Mãe Terra e com seus ensinamentos. Se observarmos bem, veremos que tudo o que precisamos nos é ofertado de graça (inclusive ensinamentos) só que nós, com a quebra dessa relação mais próxima, simplesmente desaprendemos a identificar e decodificar todos esses códigos da Deusa.

Vejamos então:

I – Quando a natureza nos deu dois ouvidos e dois olhos e – tão somente – uma boca foi para que, antes de qualquer coisa, termos de ver e ouvir muuuuito para depois disso, analisarmos tudo que percebemos antes de falar impensadamente pois a boca (humana) é falha, mentirosa, involuntária… E nem sempre verdadeira! Por conta disso normalmente “sem querer” ofendemos, magoamos e destruímos coisas e/ou pessoas, acreditando de forma ilusória que estamos sendo sinceros com os outros… Pura ignorância!

II – Atitudes, como essa acima, nos dão uma falsa impressão de “ser superior” acima do bem e do mal. Junte com o ensinamento de que somos “feitos a imagem e semelhança de Deus” e, na nossa cabeça obtusa, concluiremos que: já que sou o filho do dono (e conseqüentemente Deus também! Filho de peixe????) posso zuar à vontade que tá liberado!!! Olhe o planeta ao seu redor e veja o que fizemos por conta dessa atitude! Desrespeito para com a natureza e para com o próximo, além de um alter-ego hedonista, individualista e extremamente egoísta! E ainda reafirmam a toda hora: “tudo posso naquele que me fortalece”. Parece até a personagem Lady Kate: é tudo meeeeeeeeeeeeeeeu! E sim, a CULPA É TODA NOSSA MESMO!

III – A paixão entre a Deusa e o Deus é única, compartilhada, complementar e verdadeira. Nós estamos em busca de alguém para nos pertencer. Queremos a posse do corpo (e da mente) de outra pessoa, se for mais de uma então: beleza! To dentro! E, mais uma vez, já que tenho uma coisa minha e, tudo posso, então que se dane! Tem de ser do “meu jeito” e, como não somos iguais, bem aí começa a busca desenfreada e incessante pela “alma gêmea”.

Mas como ser amado se não oferecemos amor e sim um contrato de posse e apreensão? Como queremos algo para outrem que não queremos para nós? Sim, por que ninguém quer ser “enjaulado” quer???? Perceba como os animais, andam em bando, decidem seus parceiros e todos se respeitam sem uma regra escrita sequer, sem cobrar nada uns dos outros e ainda se reproduzem na medida do necessário para manter a espécie. O ser humano é o contrário do que a natureza ensina:

a)     Minha/Meu namorada(o) – Posse;

b)     Sexo do jeito que eu gosto – Egoísmo;

c)      A peituda/Bunduda e o Saradão – Hedonismo;

d)     “Eu sou mais eu!” – Individualismo; e etc…

III – Assim, depois de tanta complicação, chegamos na busca insana por algo que nos preencha (e nem sabemos ao certo o que seria). Não há muito tempo atrás, celebrávamos a natureza: a lua, o sol, as estrelas, o pé de carvalho, a fertilidade, etc. Todos juntos em Clãs e famílias. Poderiam até mudar os nomes dos Deuses mais os arquétipos eram os mesmos – ou bem parecidos. Hoje temos uma insana perseguição por uma infinita lista de pecados impostos aos nossos ombros gritando em nossos ouvidos: arderás no fogo do inferno! E uma religião dominante extremamente castradora de um Deus único que nos ensina: ame a mim sobre todas as coisas; olhe mas não deseje; deseje mas não possua; possua mas não prove; prove mas não repita; gostou de que provou? Se arrependa e, por fim, não se arrependeu? De nada valeu, você se lascou!

Então, como conseqüência, estamos sempre doidos atrás de algo que nem sabe ao certo o que é! Religião, amor, dinheiro, poder, beleza, sensualidade, sexualidade, e por ai vai… E esquecemos o que é básico e simples: essa dinâmica sem regras criadas por nós é que deveria ser o ato pleno de VIVER, sem culpa, em comunhão com a Terra e com seus elementos, ao invés de decidir que esse ou aquele livro escrito (por homens iguais a nós) é a verdade absoluta e a “palavra” única a ser seguida cegamente! Sinceramente, meditemos: Possui algum sentido isso?

Dentro desse caos que criamos para nós mesmos, temos que assumir a culpa de que somos o único bicho impaciente o suficiente para querer manipular a natureza, outro ser humano e o tempo e, quase sempre, isso dá em uma grande merda! E já que fizemos a merda mesmo, não importa e nem se desespere, é só correr ao confessionário mais próximo e, após sua penitência, você estará salvo afinal, “Ele” é seu pai!

Mas, e aqueles a quem você atingiu? Seu “Pai” vai dar a eles qual alento? Ele despoluirá o planeta? Ele irá assumir o seu filho bastardo? Ele apagará das cabeças as suas ofensas ditas? Ele brotará comida e dinheiro da terra para aplacar a miséria do sistema capitalista??? Se vai? Ele está esperando o que?

Ahhh sim, é verdade! Talvez “Ele” tenha surgido com a gripe influenza A (H1N1) para resolver todos os problemas do seu “filhinho” de uma única vez: diminuir a população faminta e miserável, matar aqueles que você ofendeu ou, simplesmente, diminuir em uma pandemia toda a população do planeta. Assim você poderá fazer mais sexo sem culpa para se “crescer e multiplicar”, mais comida sobrará para você, muito menos mãos para circular a moeda e sobrar para seu cofrinho e menos poluição, é claro!

Parabéns amigos! Pelo menos isso “Ele” aprendeu com a Mãe Natureza, o maior sempre vence o menor. Só que francamente! Ela ainda é mais sábia: o vírus H1N1 é minúsculo e, mesmo assim, está derrubando a todos nós que estamos no topo da cadeia animal… Isso sim, é estratégia! Ai, você pode dizer: então é ela quem está nos matando. Será mesmo? Você já parou para pensar se, nesse jogo todos nós somos realmente a peça mais importante? Nesse sentido, a natureza pode apenas, estar extinguindo um câncer que consome todo o planeta, ou seja,  a raça HUMANA pois, somos os únicos animais que onde nos estabelecemos, destruímos nosso habitat, consumimos tudo o que pudermos e nos multiplicamos aceleradamente. Eu só tenho um nome para algo parecido: CÂNCER!

Reflita sobre isso! Blessed Be!

 

 

Worrien Fayel:Bruxo Natural de Tradição Familiar

Categorias:Artigos
  1. agosto 8, 2009 às 1:51 pm

    Já iniciou com tudo!! Parabens pela postagem.
    A proposito, ficou excelente.
    Abracos,
    Bêncaos da Deusa!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: